Projetos de Arquitetura de Varejo recentes:

Depoimentos:

Corello

“ Os projetos da A+E são realmente de alto nível e de exímio bom gosto. Padrão internacional”.
Savério Silvarolli, Proprietário da Corello Comercio Ltda.

 

Bruno Minelli

“A A+E é o grande talento e a sensibilidade de Ronaldo Saraiva, sem dúvida o mais brilhante de todos,não só no nível visual.Ele consegue com que o produto apareça e tem muito bom gosto. Tudo o que A+E fez para mim foi muito bem feito”.
Bruno Minelli, Proprietário da Bruno Minelli

Mais Projetos de Arquitetura Comercial:

Projeto Rio 3° Milênio:

A convite da diretoria da Companhia Docas do Rio de Janeiro, em 1997 elaborei este projeto para a renovação das docas do Porto do Rio. A área compreendia o Píer Mauá e parte das Docas até o armazém de No 5. Como o Programa do projeto era livre, passei a estudar o que havia ocorrido com outras cidades do mundo que já haviam realizado renovações em suas áreas portuárias ociosas, Baltimore, Toronto, Buenos Aires, Londres e Nova Y ork foram algumas das que visitei, além de estudar várias outras. Afora todos os casos terem como lugar comum a localização à beira d'água, cada um apresentava características e particularidades muito diferentes entre si, como a vizinhança dos sítios, sua localização na malha urbana e sua relação histórica com a vida da cidade, além é claro da forma e procedimentos adotados para suas realizações e os montantes de recursos investidos, que em alguns casos atingiram a marca de U$ 4 bilhões . Nas que julguei terem sidos mais bem sucedidas encontrei alguns pontos em comum: Todas eram de uso misto, isto é , não só comercial ou residencial, mas de uso também educacional e recreativas, com forte apelo turístico e portanto de grande atração pública.

No caso do Rio de Janeiro existem certas condicionantes que a meu ver não podem ser desprezadas com o risco de insucesso se o forem: As docas, hoje, se encontram junto a três Bairros altamente degradados, Saúde, Gamboa e Santo Cristo, além da Praça Mauá em situação não muito melhor; a intervenção que não levar isto em conta e não atuar como um centro de revalorização de seu entorno sendo maior e mais forte do que a degradação existente, tem poucas chances de triunfo, é necessário portanto um plano maior de renovação urbana incluindo estes bairros e usando o potencial das docas à beira mar como um ponto de alavancagem desta renovação.

O principal valor destes sítios é a vista para o mar, e no caso das docas do Rio existem hoje os armazéns que são uma verdadeira muralha bloqueando totalmente a vista do mar, construidos quando do aterro e construção das Docas, não possuem expressão arquitetônica ou histórica que justifiquem sua manutenção, muito menos serem tombados.., é necessário a remoção de pelo menos parte destes de forma a permitir a abertura de grandes átrios de vista para a baía, permeando a valorização para o restante do bairro, assim como a construção de uma esplanada de pedestres bem urbanizada e com belos jardins sob o reformado elevado da Rodrigues Alves, que funcionaria como um grande pórtico do conjunto arquitetônico; O trânsito deve ser desviado para uma nova avenida a ser aberta cortando o interior dos bairros e valorizando-os.

A implantação de um hotel de alto nível acoplado a um shopping e mais uma torre de uso misto assim como outros prédios comerciais e residenciais de menor porte, com seus desenhos curvilíneos inspirados em nossas montanhas e nossos mares, compõem a parte comercial do empreendimento, e seu desenho único e inusitado trarão mídia e valorização do conjunto; para a parte cultural e recreativa nada melhor que aproveitar o Píer com sua impertinente proeminência sobre a Baía, para esta aumentar, e fazer um aquário marinho submerso ,acessado por uma esteira rolante por sobre uma ponte. Um Museu animado e interativo da História do Brasil em forma da concha de um náutilus, um centro de convenções e feiras, uma biblioteca virtual pública patrocinada pela iniciativa privada, além da marina e seu centro comercial. Uma grande esplanada pública sob o centro de convenções de onde partirão os passeios náuticos pela Baía e onde sempre estarão acontecendo expressões culturais públicas. Soma-se a isto os prédios de "construções históricas" de cada um dos povos que imigraram e formam hoje o povo brasileiro, sendo usados como centros de divulgação das artes de cada um destes povos e suas artes culinárias degustadas em seus restaurantes à beira Mar; a recriação da floresta tropical retratando nossa riqueza dentro de uma superestrutura de 32 metros de altura com cobertura semi- transparente e climatizada trará a sensação do convívio da natureza selvagem com o universo urbano de cada cultura criando uma sensação única no visitante; o cinema em 3D trará a novidade e modernidade para este centro de Lazer e Cultura, Por fim uma Grande concha acústica "plantada" dentro d'água com cobertura em lon& tencionada e o seu show de fontes e luzes dançantes fará todo entardecer na cidade um início de festa.

Contato

Entre em contato e agende uma reunião

photo of Ronaldo Saraiva Arquitetura de Varejo e Comercial
Escritório de Arquitetura Ronaldo Saraiva
Shoppong Dwontwon, Av. das Américas nº 500, Bloco 9, sala 221, Barra da Tijuca
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 22640-100 Brasil
2491-1324
GEO: -23.004086, -43.320036
Projeto de Arquitetura de Lojas, Arquitetura de Varejo, Arquitetura Comercial, Escritório de Arquitetura, loja de Shopping, Execução de obra de franquia, gerenciamento e administração de obra